Investigação Neuropsicolingüística da LIBRAS
Introdução Tarefa Processo Avaliação Conclusão Créditos

O estudo das condições de processamento da memória semântica e suas reminiscências ao código escrito, associado ou não a uma imagem, deve envolver a recuperação destes dados a partir do processo de leitura e significação e como se configuram. Assim, a surdez deve ser preconizada ao que tange o modelo sócio-antropológico, tendo como expoente à aquisição de linguagem, os processos mentais e estruturas cognitivas frente à Língua de Sinais, de caráter visuo-espacial. Fazer menção a memória e seus modelos técnicos, evidenciando a importância da linguagem no processo de aprendizagem, instigam-se correlatos referentes ao processo de recuperação de informação da memória semântica e o desenvolvimento do letramento visual, relacionando significante e significado na emissão de mensagens significativas e contextualizadas.

O conhecimento sobre o objeto deve implicar o acesso a representações fonológicas e pode ocorrer a passagem pelas representações semânticas. A apresentação visual, enquanto percepção visuo-espacial, deve ativar a representação estrutural tridimensional, que por sua vez, permitirá o acesso à mesma rede de propriedades semânticas, podendo ser codificado e armazenado evocando memórias (episódica, semântica, não-declarativa) no processo de recuperação e registro mnêmicos, seja ele evocado para registro na forma escrita ou não.

Portanto, esta possibilidade de investigação de reminiscências ao processamento da memória semântica, denota que o processo de leitura e compreensão do código escrito ao sujeito surdo, tem um grau de dependência elevado ao desenvolvimento da aprendizagem enquanto processo de aquisição, apropriação e construção de significados aos sujeitos surdos, sendo fato que os conceitos são melhores recuperados se houver registro na memória sensorial e recuperado após incisivo processo de codificação, armazenamento e recuperação destas informações.

 


© 2010 Todos direitos reservados.