Aula VII: Parapsicologia e Misticismo Aplicada...
Introdução Tarefa Processo Avaliação Conclusão Créditos

 

CONCLUSÃO 

Estes ensaios almejam nos instigar a refletir sobre as características, manifestações e implicações do processo de individuação – conceito central da psicologia analítica de C.G. Jung, autor cuja obra se confunde com o próprio empirismo de vida.

Espera-se que o leitor logre lançar-se não apenas numa reflexão, mas num despertar e descoberta da condição e potencial de si, a partir das associações que se antevê possam ser tecidas a partir da leitura.

Não importa qual a idade, raça ou cultura, todos atravessam a mesma jornada de desenvolvimento, o mesmo ciclo de vida – embora a realização e manifestação de cada um se processe de formas diversas. A literatura psicológica não tem escrito o suficiente sobre o desenvolvimento adulto e a falta de significado e vazio existencial do viver do homem, desse homem dito civilizado e moderno.

Uma compreensão do processo de vida e dos principais conceitos de C. G. Jung, mais do que servir para melhor entender sua obra, costumeiramente acusada de solipsista, mística e incongruente, há de nos deparar com uma porta que parece somente se abrir pelo lado de dentro – para descobrimos, ainda um tanto aturdidos: sermos a resposta de nossas indagações, num verdadeiro encontro com a alma perdida, reconciliando opostos que nos orientem para um sentido mais amplo da expressão de uma madura e consciente individualidade. Assim ocorreu com o próprio Jung, quem fez da própria vida, e da autobiografia, um retrato de seu interior, compartilhando do intrincado processo de um “inconsciente que se realizou”.

Os estudos buscam delinear importantes considerações necessárias a uma efetiva compreensão do que Jung entendia por processo de individuação, a partir da análise de seus antecedentes históricos, sua distinção do individualismo, suas implicações para a questão da coletividade, bem como sua dimensão moral.

Pontos fracos e fortes da teoria junguiana são investigados e discute-se a individuação no contexto da psicoterapia e das fases de vida.


© 2010 Todos direitos reservados.