A ÉTICA EM NIETZSCHE - O SUPER-HOMEM E A BOA NOVA
 Introdução
 Tarefa
 Processo
 Avaliação
 Conclusão
 Créditos
 

 

 


[1] NIETZSCHE, Friedrich, Assim Falava Zaratustra – Um Livro Para Todos e Para Ninguém, Tradução Portuguesa: Alfredo Margarido, Guimarães Editores, Portugal, 2008, p. 11.

[2] Nota: A despeito das influências anteriores, Hegel, Ludwig Feuerbach e Karl Marx, foram os três primeiros a apresentar uma elaboração explícita do conceito de alienação e cuja interpretação é base para as discussões sobre o conceito, seja em filosofia, sociologia ou psicologia. (Cf. ÉTIENNE, Jean, BLOESS, F., et all Dicionário de Sociologia, 2º edição, Plátano Editora, Lisboa, 2008, pp. 19-26).

[3] NIETZSCHE, F., O Anticristo. Ensaio de Uma Crítica do Cristianismo., Trad. Filipe Delfim Santos, Edição Babel, Lisboa, Março de 2011, pp. 52-53.

[4] IMBAMBA, J., Manuel, Uma Nova Cultura para Mulheres e Homens Novos – Um projecto filosófico para Angola do 3º Milénio à Luz da Filosofia de Battista Mondin, 2ª Edição, Editora Paulinas, Luanda - Angola, 2010, p. 117.

[5] NIETZSCHE, Friedrich, A Genealogia da Moral – Uma Polêmica. Tradução Portuguesa, notas e posfácio Paulo César de Sousa – São Paulo: Companhia das Letras, 1998, p. 12.

[6] Cf. IMBAMBA, J., Manuel, Uma Nova Cultura para Mulheres e Homens Novos – Um projecto filosófico para Angola do 3º Milénio à Luz da Filosofia de Battista Mondin, 2ª Edição, Editora Paulinas, Luanda - Angola, 2010, p. 117.

[7] NIETZSCHE, F., O Anticristo. Ensaio de Uma Crítica do Cristianismo., Trad. Filipe Delfim Santos, Edição Babel, Lisboa, Março de 2011, p. 126.

[8] SCRUTON, R., Breve História da Filosofia Moderna, tradução portuguesa de Carlos Marques, Guerra e Paz, Editores S.A., Colecção Saber & Educação, Lisboa, 2010, p. 252.

[9] MARQUES, R., História Concisa da Pedagogia, 1º edição, Plátano Edições Técnicas, Lisboa, 2001, p. 149.

[10] Cfr. VILA-CHÃ, J.,J., (2001a), Friedrich Nietzsche (1844-1900): Outras Considerações, Revista Portuguesa de Filosofia, vol. 57, pp. 3 – 4. Doi: 193.137.218.125 on Thu, 03 Sep 2015 11:33:00 UTC

[11] NIETZSCHE, Friedrich, Assim Falava Zaratustra – Um Livro Para Todos e Para Ninguém, Tradução Portuguesa: Alfredo Margarido, Guimarães Editores, Portugal, 2008, pp.413-414..

[12]Cf. IMBAMBA, J., Manuel, Uma Nova Cultura para Mulheres e Homens Novos – Um projecto filosófico para Angola do 3º Milénio à Luz da Filosofia de Battista Mondin, 2ª Edição, Editora Paulinas, Luanda - Angola, 2010, p. 19.

[13] Cf. MARQUES, R., História Concisa da Pedagogia, 1º edição, Plátano Edições Técnicas, Lisboa, 2001, pp. 148-149.

[14] NIETZSCHE, Friedrich, Assim Falava Zaratustra – Um Livro Para Todos e Para Ninguém, Tradução Portuguesa: Alfredo Margarido, Guimarães Editores, Portugal, 2008, p. 11.

[15] MARQUES, R., História Concisa da Pedagogia, 1º edição, Plátano Edições Técnicas, Lisboa, 2001, p. 149.

[16]Cf. NIETZSCHE, Friedrich, Assim Falava Zaratustra – Um Livro Para Todos e Para Ninguém, Tradução Portuguesa: Alfredo Margarido, Guimarães Editores, Portugal, 2008, p. 12.

[17]Idem, Humano, Demasiado Humano. Um livro para espíritos livres. Volume Dois das Obras Escolhidas, 266. Lisboa, relógio d’Água, 1992, pp. 244-245.

[18]Cf. MARQUES, R., História Concisa da Pedagogia, 1º edição, Plátano Edições Técnicas, Lisboa, 2001, p. 152.

[19] MARQUES, R., História Concisa da Pedagogia, 1º edição, Plátano Edições Técnicas, Lisboa, 2001, p. 150.

[20] STRATHERN, Paul, Nietzsche (18844-1900) em 90 minutos, Tradução portuguesa: Maria Helena Geordane, Consultoria Danilo Marcondes, Jorge Zahar Editora. – Rio de Janeiro, 1997, p. 48.

[21] MARQUES, R., História Concisa da Pedagogia, 1º edição, Plátano Edições Técnicas, Lisboa, 2001, p. 150.

[22]  (VILA-CHÃ, 2015), J.,J., (2001a), Friedrich Nietzsche (1844-1900): Considerando Alguns Efeitos, Revista Portuguesa de Filosofia, vol. 57, pp. 3 – 28. Doi: 193.137.218.125 on Thu, 03 Sep 2015 11:33:00 UTC, p. 22.

[23] SCRUTON, R., Breve História da Filosofia Moderna, tradução portuguesa de Carlos Marques, Guerra e Paz, Editores S.A., Colecção Saber & Educação, Lisboa, 2010, p. 252.


© 2010 Todos direitos reservados.