Aula VII: Parapsicologia e Misticismo Aplicada...
Introdução Tarefa Processo Avaliação Conclusão Créditos

 Parapsicologia e Misticismo Aplicada a Psicanálise:   Carl Gustav Jung.

- Caros alunos(as), teremos as Obras de C.G. Jung como instrumento de pesquisa e catalisador de percepções da parapsicologia, misticismos e a transvesalidade de saberes aplicadas a psicanálise. 

Breve relato:

C.G. Jung nasceu na Suiça em 26 de julho de 1875.  Psiquiatra de formação, iniciou sua carreira profissional em Zurique, onde conduzia o tratamento de pacientes esquizofrênicos. Jung foi talvez o discípulo mais proeminente de Freud e ativo colaborador no início da psicanálise. Ele pesquisou e desenvolveu conceitos fundamentais como o de “associação” e “complexo”, sendo que este último foi tomado emprestado por Freud para batizar o famoso “Complexo de Édipo”.

A união de Freud e Jung foi bastante produtiva e em 1910 foi fundada a Associação Psicanalítica Internacional (IPA), assumindo Freud um papel de apoio a Jung, dizendo-se já velho para assumir tal empreitada e ressaltando as características de Jung para assumir a liderança da IPA e, assim, Jung foi o primeiro presidente desta.

Ousado, criou técnicas inovadoras, dentre elas o “teste das associações”, buscando identificar os conteúdos psíquicos ligados a complexos. O teste foi o embrião do polígrafo, mais conhecido como detector de mentiras. Aos poucos, foi imprimindo cada vez mais sua marca nas teorizações, desgarrando-se de Freud. Jung debruçou-se sobre o estudo da mitologia, de povos não-ocidentais e produções culturais diversas, o que lhe permitiu pensar os substratos coletivos/arquetípicos presentes no inconsciente. 

Freud não se mostrou tão flexível quanto às retificações de suas ideias e Jung não aceitava o conceito de que a sexualidade era a causa primeira da psique e fonte de todos os traumas.

Jung rompeu com Freud em 1913, mesmo ano em que é reeleito presidente da IPA, porém renunciando ao cargo em 1914.

Jung herdou da psicanálise as descobertas do inconsciente reprimido e da formação simbólica da personalidade através das relações primárias do início da vida.

Jung então começou a desenvolver o seu próprio caminho com o desenvolvimento do que ele chamou de Psicologia Complexa ou Psicologia Analítica.

Jung buscou em outras áreas do conhecimento subsídios para desenvolvimento de seus conceitos como o seu conceito da libido através da Energia Psíquica que segue o mesmo conceito de energia do campo da física, porém Jung procurava manter uma correlação e não uma transposição, evitando uma generalização de conceitos.

Jung seguiu desenvolvendo e aprimorando seus conceitos que resultaram na Psicologia Analítica e serviram de pedra fundamental para outros ramos da psicologia científica como a Psicologia Humanista, a Psicologia Arquetípica e a Psicologia Transpessoal e fizeram dele um nome de vital importância na história da psicologia e da psiquiatria.

A Psicologia Analítica por ele fundada mantém muitos seguidores ao redor do mundo, que continuam a utilizar e desenvolver as ideias de Jung. No Brasil, ele teve uma discípula de renome: Nise da Silveira, reconhecida até hoje por introduzir a arte como ferramenta terapêutica em saúde mental.



© 2010 Todos direitos reservados.