Aula XII: Semiologia em Psicanálise
Introdução Tarefa Processo Avaliação Conclusão Créditos

Aula XII: Semiologia em Psicanálise

 

O que é Semiótica?

Semiótica é o estudo dos signos, que consistem em todos os elementos que representam algum significado e sentido para o ser humano, abrangendo as linguagens verbais e não verbais.

A semiótica busca entender como o ser humano consegue interpretar as coisas, principalmente o ambiente que o envolve. Desta forma, estuda como o indivíduo atribui significado a tudo o que está ao seu redor.

Os objetos de estudo da semiótica são extremamente amplos, consistindo em qualquer tipo de signo social, por exemplo, seja no âmbito das artes visuais, música, cinema, fotografia, gestos, religião, moda, etc.

Em suma, quase tudo o que existe pode ser analisado a partir da semiótica, visto que para que algo exista na mente humana, esta coisa precisa ter uma representação mental do objeto real. Esta condição já faz de tal objeto, por exemplo, um signo que pode ser interpretado semioticamente.

Segundo registros históricos, a semiótica teve sua origem na Grécia Antiga, mas apenas se desenvolveu no começo do século XX, com o trabalho de alguns pesquisadores, como o mestre da linguística e filósofo Ferdinand de Saussure (1857 - 1913), e Charles Peirce (1839 - 1914), considerado o "papa da Semiótica.

Semiótica e Comunicação

Os estudos semióticos estão intrinsecamente relacionados com a Comunicação, seja verbal ou não verbal.

Pelo fato da semiótica ser o "estudo dos significados", esta é essencial para que se formem os elementos necessários para o compreendimento entre as pessoas em determinados grupos.

Através da semiótica somos capazes de interpretar as palavras que formam um texto linguístico e atribuir um significado para as respectivas sequências de palavras, por exemplo. No caso da linguagem não-verbal, os sinais também são dotados de significados específicos, como os sinais de trânsito, os movimentos, os sons, os cheiros, etc.

O que é Semiologia:

Semiologia é a ciência geral dos signos.

A palavra vem da união das palavras gregassemeion, que significa sinal, e logos, estudo.

A Semiologia é uma área do conhecimento que se dedica a compreender os sistemas de significação desenvolvidos pela sociedade. Tem por objeto os conjuntos de signos, sejam eles linguísticos, visuais, ou ainda ritos e costumes.

Um signo é a combinação do significado e o significante, ou seja, do conceito com o objeto em si. Como por exemplo uma placa de trânsito. Ela isolada é só um conjunto visual, de cores e desenhos. É a partir do significado que lhe dão que ela se constitui um signo, e ganha novo sentido.

Semiologia Médica

A Semiologia Médica é uma disciplina teórico e prática das Ciências da Saúde que dedica sua atenção aos sinais e sintomas apresentados pelos pacientes.

Durante o exame físico geral, devem ser observados signos não-verbais que ajudarão a compor um melhor diagnóstico, além dos sintomas verbalizados pelos pacientes.

É um método de diagnóstico desenvolvido por Henry Stubbes, em 1670. A análise considera o estado geral do paciente, seu nível de consciência, postura e sinais de desconforto. Também entram outros elementos não narrados, mas fundamentais para o diagnóstico, como presença de edemas, odores corporais, partes ressecadas, e etc.

Semiótica e Semiologia

Os termos Semiótica e Semiologia representam o mesmo campo de estudo, mas uma determinação da Associação Internacional de Estudos Semióticos em 1969 decidiu pelo uso do termo Semiótica como o nome da ciência geral dos signos.

Semiótica e Semiologia eram utilizados como sinônimos até então. O que diferenciava os dois termos era a linha e a origem da pesquisa: se fosse associada à tradição norte-americana de Charles Pierce, era Semiótica. E a escola europeia, liderada pela linguística de Ferdinand de Sassure, chamava de semiologia.

Mas na segunda metade do século XX, importantes autores europeus como Roland Barthes e Umberto Eco adotaram o termo semiótica para designar seus estudos sobre os sistemas de significação. Em seguida, por sugestão de diversos pesquisadores, a Associação optou pelo uso exclusivo do termo semiótica.

Mas a decisão não invalida os estudos em semiologia anteriores. Apenas padroniza o campo.


© 2010 Todos direitos reservados.