Aula 5: Fund. da Técnica Psicanalítica I
 Introdução
 Tarefa
 Processo
 Avaliação
 Conclusão
 Créditos
 

Traremos como "tarefa", a leitura das teorias e técnicas terapêuticas na clinica analítica e como são aplicadas.

Técnica da psicanálise I

Quando um cliente nos procura ele traz a sua fala (queixa, dores e culpas), manifesta em sintomas. O analista deve entender que toda fala, traz em si o não dito. Para que o cliente possa movimentar-se livremente dentro de tudo que habita n'alma, ele deixa buracos entre suas falas. Cabe o analista saber transitar pelos buracos do não dito. Desta forma o cliente buscará no inconsciente o pulsar do objeto da queixa "culpa ou dor". Em geral o não dito predominará no setting analítico, dando-nos, psicanalistas, campo para recepcionar as transferências. Enquanto o cliente imagina-se livre das dores e culpas, sem perceber, abre uma linha desprovida de resistências, por entender que ele passa ser o sujeito da escuta, no lugar que lhe cabe como sujeito da fala. O analista, por breves instantes, oferece a possibilidade de o cliente mostrar-se de forma latente e nua.

Embora haja uma modificação dos conceitos teóricos de Freud ao longo de sua obra dois pontos são mantidos por sua importância:

(a) sexualidade infantil;

(b) o inconsciente;

A associação livre (ao associar livremente o paciente no decorrer do tratamento vai superando as suas resistências e deste modo os conteúdos do inconsciente são trazidos para a consciência). 

As publicações em pdf estarão disponíveis no grupo, Turma 1 2018 Psicanálise, do WhatsApp. 

Não esqueçam de consultar os livros já disponibilizados na primeira aula.

Links:

https://www.youtube.com/watch?v=dXFm768GLR0

http://lelivros.love/?x=0&y=0&s=sexualidade+infantil+FREUD

 http://conexoesclinicas.com.br/wp-content/uploads/2015/01/freud-sigmund-obras-completas-imago-vol-07-1901-1905.pdf

http://conexoesclinicas.com.br/wp-content/uploads/2015/01/freud-sigmund-obras-completas-imago-vol-08-1905.pdf

 

 

 

 

 


© 2010 Todos direitos reservados.