COMPORTAMENTO ANIMAL
 Introdução
 Tarefa
 Processo
 Avaliação
 Conclusão
 Créditos
 

Animais em cativeiro frequentemente habitam ambientes totalmente adversos, quando comparado ao que ocupariam em vida-livre. Vários fatores deste novo ambiente, e particularmente a escassez de estímulos adequados podem ser fortemente prejudiciais a estas espécies. 

Um fator normalmente associado ao confinamento é a ausência das possibilidades para explorar, investigar e interagir socialmente. Estes animais apresentam déficits exploratórios e desenvolvem o medo, e também uma predisposição ao estresse.

Em vida-livre os animais são expostos a um ambiente desafiador, em constante mudança, onde exigências físicas e cognitivas são continuamente impostas, como: evitar predadores, encontrar e obter alimento, percorrer terrenos de diferentes níveis, defender o território de outros animais e/ou co-específicos, socializar, acasalar, entre outros estímulos variados. No entanto o contraste com o ambiente cativo é alto: espaço restrito, falta de complexidade, rotinas de manejo permanentes (como alimentação facilitada) e o contato com humanos. Todos estes fatores tornam o ambiente altamente previsível e sem opções para o controle das variáveis fundamentais para o seu conforto e bem-estar 

O objetivo no estudo do comportamento de um determinado animal é registrar minuciosamente seu comportamento, correlacionando-o com estímulos que evocam seus diferentes componentes. Um catálogo completo do comportamento é denominado etograma. O observador deve preocupar-se em registrar tudo, mesmo o que parece pouco importante no momento do registro.


© 2010 Todos direitos reservados.