QUÍMICA AMBIENTAL
Introdução Tarefa Processo Avaliação Conclusão Créditos


Warning: getimagesize(pastas/14883/SEM IMAGEM) [function.getimagesize]: failed to open stream: No such file or directory in /home/webquestfacil/www/introducao.php on line 20

Química Ambiental – Repensando o Hoje.

Olá querido (a) aluno (a) você já se perguntou porque se fala tanto em problemas ambientais, mas pouco se faz para preveni-los? Pois é, me faço essa pergunta constantemente, principalmente quando os problemas respiratórios aparecem devido a poluição do ar.  Mas será que esses problemas são fáceis de serem resolvidos?

Bom, pensando nisso eu preparei um material com os principais tópicos que você precisa conhecer para que possamos discutir esse assunto tão grave e que exige medidas urgentes. O objeto não é torna-los doutores em química ambiental, mas sim formar cidadãos ecologicamente responsáveis visando a realidade socioambiental em que está situada nossa comunidade.

É importante salientar que a Química Ambiental é um assunto muito ampla e interessante, e com toda certeza, tem grandes chances de cair no ENEM de forma interdisciplinar.

Vamos lá!?

            A Química Ambiental é o ramo da química que estuda as transformações ambientais, ou seja, os processos químicos que ocorrem no meio ambiente, podendo ser mudanças naturais ou causadas pelo homem. Ela é composta por diversas áreas, como, Biologia, Geologia, Mineralogia, Ecologia, Toxicologia, Microbiologia, Bioquímica, etc. Atua no estudo das mudanças que ocorrem na atmosfera, na água e no solo, que podem comprometer a saúde humana ou influenciar negativamente na vida terrestre.

         As discussões sobre os impactos que os seres humanos causam no meio ambiente começaram a ser discutidos na década de 1960, e as primeiras legislações ambientais e avaliações de riscos ambientais foram elaboradas na década de 1970. A partir de 1980, houve a disseminação da questão ambiental para todos os segmentos da sociedade, confrontando as políticas sócio-econômicas com a preservação ambiental. Na década de 1990, iniciam-se as práticas sustentáveis, com reaproveitamento de água, melhor utilização de materiais como papéis, madeiras e outros materiais de uso comum, coleta de lixo reciclável, entre outros

         O primeiro conceito a ser estudado é a poluição ambiental que nada mais é que a concentração superior de substâncias ou agentes físicos acima daquelas encontradas no ambiente natural. Os poluentes que causam esse tipo de situação derivam, em sua maioria, das atividades humanas. Ou seja, muitos são formados a partir dos nossos lixos, das fumaças e dos resíduos de um modo geral.

         Outro conceito importante é a poluição atmosférica – e quando se fala em atmosfera, devemos focar em duas regiões específicas: a troposfera e a estratosfera. A troposfera é a mais afetada pela poluição, pois é a região em que nós vivemos. Já a estratosfera é a Camada de Ozônio, a grande responsável por filtrar a radiação ultravioleta que chega até a Terra.

Os principais poluentes atmosféricos são óxidos. Destacam-se os Óxidos de carbono, enxofre e de nitrogênio

No âmbito da química ambiental existem 5 problemas clássicos que podem cair no ENEM. São eles:

  • Inversão Térmica é um fenômeno climático muito comum nas grandes cidades industriais, onde você tem a interrupção do movimento da convecção, o ar atmosférico pode ser um exemplo da transmissão de calor por convecção térmica. Nesse caso, as correntes de vento atuam como as correntes de convecção, de forma que o ar quente fica menos denso e sobe e, o ar frio, desce, essa movimentação é chamada de convecção. O problema é que no inverno, quando as temperaturas são mais baixas, você nota que essa movimentação para de acontecer. O ar frio, como é mais denso, fica estagnado muito próximo de nós (na troposfera) e isso acaba mantendo os poluentes por aqui. Por isso que no inverno existe um aumento de problemas respiratórios, por exemplo.


  • O Efeito Estufa é o mais falado de todos, pois, é um efeito natural que no entanto é intensificado pela atividade humana. O grande problema é que com esse processo nós temos o aumento do CO2 na atmosfera, o que causa o aumento da temperatura média da Terra. O resultado disso é o derretimento de calotas polares, elevação dos níveis da maré, entre outros.
  • Smog Fotoquímico e Ozônio Troposférico Esses dois fenômenos têm uma relação com o Oxido de Nitrogênio, que pode ser lançado na atmosfera devido a combustão interna de um motor, por exemplo. Isso acontece porque, com a temperatura elevada, é quebrado a tripla ligação do nitrogênio, essa molécula se reorganiza e forma o NO que é lançado na atmosfera e forma o NO2 após se combinar com o oxigênio. Esse NO2, por sua vez é capaz de gerar ozônio. 

Talvez você esteja se perguntando, “mas o ozônio não é bom? ”

A respostas seria sim, se estivesse na estratosfera, pois lá ele filtra a radiação. Aqui no nosso nível de respiração, ele é um agente oxidante forte e pode gerar vários problemas respiratórios.

Além disso, o Ozônio Troposférico atinge as plantas, deixando suas folhas amareladas, diminuindo a sua quantidade de clorofila e diminuindo a sua taxa de fotossíntese. Como resultado disso, as plantas não crescem muito e os frutos não ficam tão doces.

O Smog Fotoquímico, portanto, é aquela camada marrom vista no horizonte.

  • A chuva ácida é um fenômeno muito comum em centros urbanos e industrializados. A chuva é naturalmente ácida devido à formação de ácido carbônico, pela reação da água com o CO2. Porém, devido a emissão de outros gases como SO3 e NO2, provenientes da queima do carvão mineral e de outros combustíveis fósseis. Esses poluentes reagem com o vapor d’água e se transformam em ácidos que caem na terra junto com a chuva, neblina ou nevoeiro, tornando o solo improdutivo, sujeito à erosão, o que acaba com florestas, destrói lavouras e dificulta plantações. Para os homens, o excesso de dióxido de enxofre no corpo origina a formação de ácidos, o que pode causar danos irreversíveis aos pulmões. Já os lagos, rios e mares mudam o pH tornando-os ácidos também, levando a morte dos seres aquáticos. Vale lembrar também que as construções por sua vez são corroídas, destruindo grandes monumentos históricos.

Há diversas medidas que podem ser tomadas para reduzir a chuva ácida, estas se resumem basicamente na diminuição da emissão dos gases na atmosfera, que pode ser desde o incentivo a menor utilização de carros, já que estes emitem CO2, até a utilização de combustíveis limpos.

Agora que você já está por dentro dos principais tópicos a serem discutido sobre a química ambiental no Enem, vou deixar um presentinho para você que adora cinema.

Pensou que só dava para estudar História através dos filmes? Nada disso. Tudo bem que os tópicos de Química costumam aparecer de forma um pouco diferente, mas dá sim para encontrar alguns conceitos nas telas dos cinemas. 

A Química não é muito bem vista pelos diretores. Geralmente, ela aparece como um problema e não como uma solução. É por isso que vemos tantos filmes sobre catástrofes ambientais ou bombas nucleares. 

Apesar desse tom um pouco negativo, é interessante conhecer as narrativas. Os filmes são ótimos materiais de apoio, porém é preciso assistir com um olhar muito crítico. Como a gente não consegue “visualizar” os processos químicos, o diretor pode forçar para ter um apelo visual bom. 

Quer ver só um exemplo clássico? Todo ácido é incolor, mas, às vezes, ele é representado como uma gosma verde - que não tem nada a ver com a realidade de química

Se você gosta muito de assistir filmes, confira a listinha de alguns filmes que abordam temas de química ambiental: 

 

Blade Runner - O Caçador de Androides- a ficção científica produzida em 1982 se passa na cidade de Los Angeles e o local está totalmente poluído por uma chuva ácida. 

A Última Hora - documentário que aborda questões ambientais como o clima, o efeito estufa e o futuro do planeta. 

Erin Brockovich - Uma Mulher de Talento- nessa história baseada em fatos reais, Erin descobre que a água da cidade está contaminada e fazendo mal para os seus habitantes. Ela investiga o que está acontecendo e consegue cooperação dos moradores para solucionar o problema. 

Uma Verdade Inconveniente - o filme mostra os mitos do aquecimento global como uma forma de conscientizar sobre os efeitos e desdobramentos do problema ambiental. 

 O Dia Depois de Amanhã - na ficção, um climatologista tenta mostrar suas preocupações ambientais e acaba sendo ignorado. O resultado é uma série de catástrofes. 

Paraíso Sujo - o documentário fala sobre a poluição de rios com mercúrio por conta da atividade de garimpo de ouro.


© 2010 Todos direitos reservados.