Processo de socialização
 Introdução
 Tarefa
 Processo
 Avaliação
 Conclusão
 Créditos
 

Você já parou para pensar por que se comporta de determinada maneira ou por que usa talheres e roupas, por exemplo? Será que a sociologia pode explicar? Sim!

Este processo lento e constante em que aprendemos o que se espera de nós em um determinado meio social, em que nos apropriamos dos sistemas de ideias que fazem parte da nossa sociedade, é chamado de socialização. É a partir da socialização que a sociedade passa a existir também dentro de nós, incorporamos a consciência social como parte de nossa própria consciência individual.

A socialização acontece em todas as etapas de nossas vidas, porém ela fica mais evidente na infância. Nos nossos primeiros anos de vida passamos pela socialização primária. Seu agente inicial normalmente é a família, que nos auxilia a interiorizar a linguagem e as regras básicas de comportamento que são consideradas adequadas na sociedade onde cresceremos. Já a socialização secundária é um processo permanente que vai nos acompanhar por toda nossa trajetória. Em um primeiro momento, a escola ocupa um papel central nessa caminhada. Depois seremos socializados em outros ambientes coletivos, como a igreja, o trabalho ou os grupos de afinidade.

A socialização não se dá da mesma forma para todas as pessoas de uma mesma sociedade. Isso porque de diferentes grupos são esperados que se cumpram papéis sociais diferentes. Por exemplo, os homens não são socializados da mesma forma que as mulheres. Os comportamentos que cada sociedade atribui a cada um dos sexos pode ser distintos e, portanto, a socialização também será diferente. Da mesma forma, os indivíduos podem aderir em diferentes níveis a esses papéis.

Referência:

JOHNSON, Allan G, Dicionário de sociologia: Guia prático da linguagem sociológica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 1997

 

 


© 2010 Todos direitos reservados.