Balanço Hídrico
 Introdução
 Tarefa
 Processo
 Avaliação
 Conclusão
 Créditos
 

Balanço Hídrico

O balanço hídrico nada mais é do que o computo das entradas e saídas de água de um sistema. Várias escalas espaciais podem ser consideradas para se contabilizar o balanço hídrico.

Sendo consideradas como entradas:

P - chuva

O - orvalho

Ri - escorrimento superficial

Dli - escorrimento sub-superficial

AC - ascensão capilar

 

Sendo consideradas como saídas:

ET - evapotranspiração

Ro - escorrimento superficial

Dlo - escorrimento sub-superficial

DP - drenagem profunda

Equacionando-se as entradas (+) e as saidas (-) de água do sistema, tem-se a variação de armazenamento de água no solo.

 ∆ ARM = P + O + Ri + DLi + AC – ET – Ro – DLo – DP

A chuva representa a principal entrada de água em um sistema, ao passo que a contribuição do orvalho só assume papel importante em regiões muito áridas, sendo assim desprezível. As entradas de água pela ascensão capilar também são muito pequenas e somente ocorrem em locais com lençol freático superficial e em períodos muito secos. Mesmo assim, a contribuição dessa variável é pequena, sendo também
desprezível. Já os fluxos horizontais de água (Ri, Ro, DLi e DLo), para áreas homogêneas, se compensam, portanto, anulando-se. A ET é a principal saída de água do sistema, especialmente nos períodos secos, ao passo que DP constitui-se em outra via de saída de água do volume controle de solo nos períodos excessivamente chuvosos.

Sendo assim, pode-se considerar que Ri Ro, DLi DLo, O e AC desprezíveis, o que resulta na seguinte equação geral do balanço hídrico:

ARM = P – ET – DP

Por meio dessa equação, pode-se determinar a variação da disponibilidade de água no solo. Caso se conheça a capacidade de água disponível (CAD) desse solo, pode-se determinar também a quantidade de água armazenada por ele.

Uma das formas de se contabilizar o balanço de água no solo é por meio do método proposto por Thornthwaite e Mather (1955), denominado de Balanço Hídrico Climatológico, no qual a partir dos dados de P, de ETP e da CAD, chega-se aos valores de disponibilidade de água no solo (Armazenamento = ARM), de alteração do armazenamento de água do solo (ALT = ARM), de evapotranspiração real (ETR), de deficiência hídrica (DEF) e de excedente hídrico (EXC = DP).


CURIOSIDADE

Como observado nos noticiários, esta semana na cidade de Manaus, houve um rompimento de drenagem na Av. Djalma Batista, causando diversos transtornos na localidade. Nos noticiários, observa-se ainda, a preocupação dos profissionais da área, na celeridade das obras, em virtude dos estudos já realizados para a previsão de cheias dos Rios no município.  


 



© 2010 Todos direitos reservados.